• Adoo

Como estudar para concursos?

Atualizado: 28 de Out de 2020



Como estudar para um concurso público?

Para quem está iniciando nesse concorrido mundo dos concursos, talvez o maior de todos os desafios é encontrar uma forma de aprender e absorver conteúdos diversos de uma forma eficaz e eficiente. Afinal de contas, existe uma fórmula mágica para isso?


Bom, como um ex concurseiro, posso dizer para você: não existe fórmula mágica não! Porém, existem algumas práticas que podem ajudar muito no aprendizado. O importante é que você entenda que essas práticas podem variar de pessoa para pessoa, pois nem todos temos a mesma quantidade de tempo disponível e muito menos a mesma forma de pensar.


Porém, podemos te dar algumas dicas abaixo.


Lembre-se, a melhor forma de se preparar é estando bem informado.

Por isso, não perca tempo e baixe o Adoo! Crie alertas nos diários oficiais e esteja a frente de toda a concorrência: https://linktr.ee/adoobr


1 - Não atire para todos os lados, defina seu foco

Veja, existem centenas de concursos. Ao olharmos as remunerações, é comum ficarmos pulando de um para outro. No entanto, isso é absolutamente errado e desgastante. Entenda que nosso tempo é limitado e que não podemos “abraçar o mundo”.


É sempre importante refletir sobre o que você gosta de fazer e com o que você gostaria de trabalhar durante toda a sua vida ou parte dela.

Claro, nada impede de que, futuramente, você saia de um concurso que imaginava satisfazê-lo(a) e se interesse por outro. A mudança é absolutamente normal. Mas, precisamos, nesse momento inicial, definir um foco. Não é possível ser aprovado em um difícil concurso sem se entregar por inteiro e sem saber se é aquilo que você realmente quer… tenha isso em mente.


2 - Os estudos começam ANTES do edital

É isso aí. Quem disse que você deve começar a estudar apenas com o “certame na praça”? Se você pensa dessa forma, é hora de começar a mudar seus conceitos.


Antigamente, nas primeiras realizações de concurso, não havia ou havia muito pouco histórico de certames de concursos anteriores daquele cargo específico para que o candidato pudesse se orientar.


Então, sempre esperava-se a disponibilização do edital para que os estudos fossem de fato iniciados. Aqueles que possuíam uma carga de experiência e aprendizado maior eram presenteados com a aprovação.


No entanto, hoje as coisas estão bem mais acessíveis. Com o seu foco já definido, se, por exemplo, você deseja fazer concursos policiais, existem vários certames anteriores já disponíveis. Selecione o último realizado e veja como está o conteúdo para a sua área específica. Claro, nada garante que esse conteúdo se repita, no entanto, comece a estudar através deste edital, pois sabemos que naquele meio existem várias matérias que podem aparecer novamente no próximo edital e você estará semanas ou meses a frente da maioria dos candidatos em termos de aprendizado.


3 - Aprenda a destrinchar o edital

Parece simples, mas não é. Em meio ao frenesi pós-lançamento de um importante certame, esquecemos desse primeiro passo absolutamente fundamental. Mas você deve estar se perguntando: como assim destrinchar um edital? Ele já não está pronto para ser consumido?

O edital, ao ser disponibilizado no Diário Oficial, está em um formato pouco amigável para você compreender quais matérias e conteúdos estão sendo exigidos para a prova. Na ansiedade de começarmos os estudos, muitas vezes deixamos o formato do jeito que está. Entretanto, é importante você se acalmar e saber que os candidatos menos experientes vão partir para o estudo de forma robótica e automática. Não faça isso! Copie aquele edital para um documento e divida as matérias por conteúdo, grau de dificuldade e priorize aqueles que são considerados mais importantes.


A organização do edital para seus estudos posteriores é imprescindível para que você tenha controle sobre quais conteúdos você estudou antes do edital, aqueles que ainda vai estudar e quais aqueles que você não terá total domínio.


4 - Por quais materiais devo estudar?

Esse é um importantíssimo passo na sua jornada de estudos. Devo utilizar livros? Vídeo aulas? PDFs? Por onde exatamente devo estudar? Bom, vai depender de alguns fatores importantes.


Os livros são e sempre vão ser as fontes mais ricas de conteúdo. No entanto, quanto mais abordagem se tem sobre determinado conteúdo, mais tempo é consumido e mais detalhes, muitas vezes não necessários, podem ser abordados.

Se você possui pouco tempo disponível, é recomendável estudar por vídeo aulas e/ou PDFs, que além de consumirem menos tempo, também abordam o que normalmente é cobrado daquele conteúdo específico. Entenda, os livros não são menos importantes com a existência desses outros meios, mas você deve olhar para o seu edital e o tempo que tem disponível e estudar por aquela maneira de modo a obter o melhor benefício.


Se você já estudou muito aquele conteúdo e imagina ter seu domínio pelas fontes mais rápidas de estudo, nesse ponto, aprofundar seu conhecimento pelos livros o tornará um candidato diferenciado frente aos outros que, muitas vezes, vão enxergar apenas a “ponta do iceberg”.


5 - Não importa a quantidade, e sim a qualidade

Nesse amplo universo competitivo, você encontrará diversos perfis de concurseiros. Uns possuem 10 horas no dia para estudar, outros possuem 5 horas… e outros possuem 1 hora ou até menos. Independente de quanto tempo disponível você tenha, lembre-se: a qualidade do seu estudo é o que vai fazer você ser um(a) competidor(a) de alto nível.


Nossa rotina pode ser traiçoeira, pois o trabalho, faculdade, deveres de casa, entre outras atividades podem nos afastar do nosso objetivo. O importante é que você reserve uma janela de tempo no seu dia dedicada única e exclusivamente aos estudos! Não misture as coisas, largue o celular, a TV e todas as distrações… esse é o seu momento de aprender e é o único período disponível para você se preparar.


Existem inúmeros casos de servidores que alcançaram seus objetivos, mesmo com poucas horas disponíveis, superando outros candidatos que possuíam o dobro ou triplo do tempo. O tempo é importante, mas não é ele o principal responsável pelo seu sucesso, mas sim a forma como você aproveita e utiliza esse tempo em prol dos seus estudos.


6 - Ordene seu conteúdo corretamente

Nesse ponto, você já possui um edital destrinchado e organizado, além de um horário de estudo bem definido, correto? Porém, assim como você, passei por momentos de desespero olhando para determinados conteúdos no edital que são considerados muito complicados.


De fato, é comum a banca organizadora dividir o edital em conteúdos fáceis, conteúdos de média complexidade e conteúdos de alta complexidade. Afinal de contas, de que outra forma seria possível “peneirar” os candidatos, certo? Por isso a importância dos estudos antes do edital.


Com o edital devidamente destrinchado, é importante que você veja quais daqueles conteúdos são meramente decorebas, quais você possui total facilidade de aprendizado e quais aqueles que você sabe que terá problemas para aprender. Bom, são esses últimos que você deve priorizar! Ordene seu edital de tal forma que você possa aprender todo o edital, mesmo que não domine por completo determinados conteúdos. Isso é importante porque uma questão pode ser o suficiente para colocá-lo(a) dentro da lista de aprovados. Além disso, lembre-se que existem as provas discursivas, que vão exigir muito mais do seu conhecimento e, para isso, você terá de saber no mínimo do que se trata aquele conteúdo.


7 - Faça resumos sempre

Uma das mais importantes dicas dentre todas estas: faça resumos sempre. Nosso cérebro não é uma imensidão que vai armazenar tudo como uma esponja em pouco tempo. Você se dará conta que a medida que for avançando no edital, irá esquecendo detalhes de conteúdos pelos quais já passou. Mas e aí? Vou ter que ler tudo de novo? Reler incontáveis PDFs ou assistir horas de vídeo aulas cansativas? Ou até mesmo ler um livro? Não! Bom… não se você tiver feito um resumo daquele conteúdo.


O resumo é como uma fotografia… dependendo da forma como você organizou essa “fotografia”, você lembrará de toda a essência daquele conteúdo de forma rápida e eficiente. E cada vez que você voltar, seu cérebro estará cada vez mais adaptado a forma como está organizado aquele resumo. Pela repetição, seu pensamento atuará de tal maneira que quando você lembrar do conteúdo, será possível ter uma espécie de fotografia na sua memória.


Então repito: faça resumos… o universo de conteúdo cobrado em um concurso é feito desta forma justamente por saberem que é quase impossível memorizar tudo aquilo. E os resumos serão seus fiéis escudeiros.


8 - Resolva a maior quantidade de questões possíveis

O que seria da teoria sem a prática? A memorização do conteúdo é quase em sua totalidade fixada pela resolução de questões.


É interessante… com o tempo e a prática, você vai achar uma satisfação, que imaginava não existir, em passar horas resolvendo incontáveis questões a respeito de determinado assunto. Além do aprendizado que isso gera, você terá um ganho de ânimo importante para mantê-lo firme no objetivo de ser aprovado naquele concurso.


Além disso, você estará conhecendo como aquelas bancas cobram aquele determinado assunto e, inclusive, quais questões podem fugir do padrão, dando a você a oportunidade de aprender sobre estas.


Lembre-se: quanto mais questões, melhor. A segurança é um importante fator na nossa vida em todos os aspectos, e nesse caso dos concursos públicos ela só existe se você souber de fato que toda a sua dedicação está sendo refletida na quantidade de questões acertadas.


#Adoo #Aprendizado


616 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo